Veja as inúmeras referências de Coruja BC1 na cypher ‘Pragmático’

O rapper paulista Gustavo Vinicius, mais conhecido como Coruja BC1 — a segunda parte do seu vulgo significa “busca do Conhecimento em 1º Lugar” — vem de Bauru-SP, e já lançou duas mixtapes: “Até Surdo Ouviu” (2012) e “A Voz do Coração” (2014).

Após passar alguns anos distante dos holofotes — como o mesmo afirma em “Poetas do Topo 2”: “Sumi dois anos pra volta no minimo cinco à frente” —, Coruja retornou à cena em singles impactantes como “Passando a Limpo” e “MODO F”, assim como em participações marcantes como em “AFROnta” do Boy Killa (junto com o Rincon Sapiência), e a já citada “Poetas no Topo 2”.

No dia 11/05, ele colou na cypher “Pragmático ao lado dos caras do ADL (DK e Lord), CHS do Nectar Gang, e do rapper old school Dexter. O beat, como de costume nas edições do Cypherbox, é de Leo Casa 1.

O verso de Coruja chamou a atenção por citar vários nomes de CDs clássicos do rap nacional, assim como alguns contemporâneos. Segundo o próprio Coruja, a ideia foi apresentar para o novo público do rap nacional alguns dos trampos que ajudaram a formar sua bagagem musical. “Quando eu voltei, eu prometi a mim mesmo que faria minha geração conhecer as coisas”, ele diz.

Confira abaixo as frases que compõem o verso do Gustavo, junto com links para todas as obras citadas:

“Sobrevivendo no inferno, entre castelos e ruínas”

Racionais MC’s  – Sobrevivendo no Inferno (1997)

BK  –  Castelos e Ruínas (2016)

“Dos barraco de madeirite aos palácio de platina”

Realidade Cruel  –  Dos Barracos De Madeirite, Aos Palácios de Platina (2007)

“Escolha seu caminho, esse é o Raio-x do Brasil”

Racionais MC’s  –  Escolha seu caminho (1992)

Racionais MC’s  – Raio-X do Brasil (1993)

“Com os filhos dessa pátria o sistema não é mais gentil”

Fábio Brazza  – Filho da Pátria (2014)

“Fortificando a desobediência, xis da questão”

Xis  –  Fortificando A Desobediência (2001)

X da Questão também é o nome de um grupo de rap!

“Seja como for, escute a voz do coração”

Xis – Seja Como For (1999) [Obrigado Gustavo Chiachia pela referência!]

Coruja  – A Voz do Coração (2014)

“Agonia do morro, entre a adolescência e o crime”

Consciência Humana  –  Agonia do Morro (2003)

Consciência Humana  –  Entre a Adolescência e o Crime (1997)

“Cartão postal bomba, não DiCaprio nesse filme”

GOG  – Cartão Postal Bomba (2007)

Antes desse verso, Coruja fala “entre a adolescência e a criminalidade”, isso me leva a crer que “Não é DiCaprio nesse filme” é uma referência ao filme “Diário de um Adolescente”, de 1995.

“Ainda há tempo, basta querer enxergar”

Criolo  –  Ainda Há Tempo (Versão 2006)

Criolo  –  Ainda Há Tempo (Versão 2016)

“Vamo voltar a realidade, é hora de acordar”

Marechal  – #VVAR (Vamos Voltar À Realidade)

O álbum nem foi lançado ainda, mas já é referência há anos! #SoltaEsseCDMarecha

Rashid  –  Hora de Acordar (2010)

“Nos privaram da liberdade, nossa luta é todo dia”

Dö MC – Luta (2014)

“Antigamente quilombos, hoje periferia”

Zafrica Brasil — Antigamente Quilombos, Hoje Periferia (2002)

“Causa e efeito, corpo e alma, rap na veia”

MV Bill  –  Causa e Efeito (2010)

Inquérito  – Corpo e Alma (2016)

“Meu raciocínio quebrado dá nó na sua orelha”

Parteum  – Raciocínio Quebrado (2004)

Criolo  – Nó na Orelha (2011)

“Traficando a informação, fortificando a desobediência”

MV Bill  – Traficando Informação (2000)

Xis  – Fortificando A Desobediência (2001) [sim, ele citou duas vezes!]

“Pra ter uma opção de uma saída de emergência”

DMN  –  Saída de Emergência (2001)

“A marca da besta na mão, lance o controle remoto”

Essa aqui pode ser exagero, mas o rapper Baco Exu do Blues tem uma tatuagem com o número “999” na mão. De cabeça pra baixo, seria “666”, a tal “marca da besta”.

O “controle remoto” seria referente a uma linha do single “Sulicídio”: “Exu do blues não é Kendrick, control. Assuma o controle do seu rap remoto” — Mini-teoria da conspiração fornecida por Anderson Eslie! (reclamem com ele e com BK).

“Enxergue além da tela e renasça igual flor de lótus”

Dexter  –  Flor de Lótus (2016)

“Seja o que você quiser, foda-se os bico”

Terceira Safra  – Seja o Que Você Quiser (2012)

“Era do caos pessoal, TV Senado, bem vindo ao circo”

AXL – Caos Pessoal (2012) [obrigado Rafael Lyra pela referência!]

Don Cesão  –  Bem Vindo Ao Circo (2011)

“No mundo sem cortesia ainda vejo buracos ao chão”

Sintese  – Sem Cortesia (2012)

Síntese & Inglês – Buracos Ao Chão (2013)

“Natural, às vezes enxergo além da razão”

Pentágono  –  Natural (2012)

Xará  – Além Da Razão (2011)

“Vir do nada me faz querer tudo, sem mimimi”

Kayuá  – Vir do nada me faz querer tudo (2014) [Obrigado Daniel Conceição pela referência!]

“Esse é o glorioso retorno de quem nunca esteve aqui”

Emicida  –  O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui (2011)

Esse artigo foi originalmente publicado lá no meu medium! @raifaustino, confere lá!

Comentários estão fechados.