RND Cobertura: Como foi o show de Djonga no Coquetel Molotov!

Rapper mineiro se apresentou no festival para milhares de pessoas

Foto: Thiago Calasans
0

O Festival No Ar Coquetel Molotov que completou 15 anos, foi realizado no sábado (17) de novembro no Caxangá Golf & Country Club, em Recife. Trazendo um público e atrações totalmente diversificadas, onde rolou de Rap ao Brega Funk. E a equipe do RND em Recife esteve presente para conferir como foi o show de Djonga para um público tão variado do que é o de costume de um show de Rap.

Por volta das 23h20, horário local, acompanhado do FBC e Coyote, Djonga subiu no palco principal do Coquetel Molotov 2018. Iniciando com a música “Junho de 94” o rapper mineiro agitou cerca de 8 mil pessoas que compareceram ao evento. Variando entre músicas do último álbum “O menino que queria ser Deus” e “Heresia” lançado ano passado, feats de músicas como “Poesia Acústica 4” e “Favela Vive 3”, o público se mostrou bem familiarizado com as tracks.

Foto: Thiago Calasans / Divulgação

O ápice do show de Gustavo se deu nas músicas “Esquimó” e “Olho do Tigre”, onde rolou uma interação direta do artista com o público.

“Onde tem quem acha graça zoar viado / Eu acho engraçado um racista baleado”

Essa foi a frase que mais ecoou durante o show sendo repetida várias vezes, seguindo o bordão mais conhecido do MC:

“Fogo nos Racistas”

A maneira que Djonga conquistou o público que aparentemente não consome suas músicas, mostrou como suas mensagens envolvem e são compreendidas até por pessoas que não vivem a maioria dos temas que é abordado pelo rapper. No final de sua apresentação, ainda deu para o público conferir músicas do novo álbum do FBC, o “S.C.A”, que vem sendo aclamado pelo público como um dos melhores de 2018.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.