‘Não Foi Tempo Perdido’ e nunca será Jaya…

0

Lançado no mês de fevereiro, Jaya soltou seu primeiro álbum denominado de “Não Foi Tempo Perdido”. E com certeza não foi. Além de toda a emoção de expor na “pista” o seu primeiro álbum pode se notar todo o envolvimento em cada track, desde os beats, as letras e todo o trabalho em equipe feito no mesmo.

Jaya nasceu em 1994 na cidade de America Dourada – Bahia, mas se mudou para o sul na adolescência, onde começou a se envolver com o hip hop nas diversas cidades pelas quais passou. A artista tem na imagem do pai o amor pela música, pois viu, durante a infância, a dedicação dele em compor, cantar e tentar viver o sonho de viver da música.

Em 2014, a rapper foi apresentada a Bface, que a convidou para gravar sua primeira música,uma participação na coletânea “Suite Para Corações Urbanos”. O álbum teve uma excelente recepção no cenário curitibano e estreou com uma apresentação única. A música “Não te Tendo” foi cantada por toda plateia. Este seria o início de sua carreira, marcada por um hiato de 4 anos. No dia seguinte à sua estréia, Jaya mudou-se para Florianópolis e ficou sem se apresentar ou gravar por todo este tempo, mas nunca deixou de compor.

Em 2018, depois de muita insistência de Bface e um convite do Rodrigo Zin, a artista retornou para Curitiba na missão de gravar uma participação no disco “Fazendo Grana pro Meu Filme”. O reencontro de Bface e Jaya nessa session tornou-se um projeto de EP para ser gravado em duas semanas, nas quais foram gravadas 5 faixas.

Depois de retornar à Florianópolis, Jaya sentiu que Curitiba poderia aproximá-la da música, por isso tomou a decisão de retornar para cidade, e esta fase de começar do zero procurar lugar para morar, trabalhar e deixar pra trás um relacionamento inspirou as letras que completaram o EP que acabou virando álbum de 10 faixas.

Não Foi Tempo Perdido

Este título demonstra como o tempo pode amadurecer a realização de um sonho. O álbum possui letras intimistas, fala de relacionamentos amorosos em sua maior parte, mas tratando de várias facetas do amor x paixão. Jaya é colocada em várias posições perante suas relações, alguns momentos de controle da situação, alguns momentos em que assume suas inseguranças, mas sempre romântica e sincera.

Os Beats

O álbum é experimental no sentido de explorar várias vertentes de beats. Assinado majoritariamente por Bface e Rodrigo Zin, conta também com colabs de Jxtacincx , CAFEBEATZ e Shaolin Drunk. Isto traz para o disco uma variabilidade de suingues na bateria que conduz o rap, mostrando o quanto Jaya é dinâmica como rapper e compositora.

Album art

A ilustração da capa foi feita pela artista/ativista Beatriz Lago, que possui um trabalho dedicado à autovalorização da mulher, repleto de elementos orgânicos e cores vibrantes, exatamente como o disco soa.
O disco saiu pela gravadora e selo Suite Music, com produção executiva de Bface.

Particularmente a minha preferida de todo o álbum é “Savage” com participação de Rodrigo Zin, mas acontece que escutando ele como um todo te prende atenção de uma forma diferente, a versatilidade da Jaya em passar por uma diferença de beats e a levada em passar a mensagem em cada som, faz realmente ter o jus ao nome do álbum.

Pra acompanhar essa obra:

Single “Não Foi Tempo Perdido”

Acompanhe a sequência no canal da Suite Music, e também disponível nas plataformas digitais: Spotify e Deezer. Siga a artista no Instagram.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.