Ukah Veó Vs Danilo Gentili: Uma década de estupidez

1

Danilo Gentili é um comediante polêmico. Um certo herói para uma direita que elegeu Bolsonaro presidente. Gentili é a personificação desta turma que ama tortura e detesta direitos humanos. O comediante tenta ser engraçado brincando com temas que são muito sensíveis, porém não se trata só de uma questão de sensibilidade, se trata de lei, pois em inúmeras vezes, o humorista passa dos limites e comete crimes, como exemplo, cito o racismo.

Em 2009 o comediante fez um comentário sobre o filme “King Kong” onde diz “Agora no Telecine o filme King Kong, um macaco, que depois de ir para a cidade e ficar famoso, pega uma loira, quem ele acha que é, Jogador de futebol?” O rapper Ukah, integrante do Grupo V.O. grupo atuante a mais de 20 anos na cena do rap catarinense não deixou a declaração passar sem uma resposta a altura. Um rap respondendo o comediante foi feito e viralizou.

Gentili e sua tropa perseguidora deram inicio há uma série de ameaças de agressão, ameaças de processo e denúncias no youtube que fizeram o vídeo sair do ar em 2 dias quando já contabilizava mais de 12 mil visualizações.

O rapper Ukah foi alvo da fúria dos seguidores do comediante que brinca com uma questão tão séria, racismo no país que teve a mais longa escravidão da humanidade. O rapper naquele momento preferiu o anonimato, prezou pela sua segurança e de seus familiares, a indignação porém, nunca deixou Ukah que seguiu assistindo as atrocidades verbais de Gentili.

Uma década de estupidez e declarações polemicas (basta um google) e Gentili volta a se envolver em nova polêmica, Gentili foi condenado a 6 meses de detenção por injuria contra a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). Gentili chamou a deputada de “Puta” ao receber uma notificação extrajudicial. Danilo Gentili tapa as letras “D”e e” Ta” (virando a palavra ‘puta’) do inicio e fim da palavra Deputada, em seguida rasga a notificação e a coloca dentro das calças.

A patrulha em defesa do comediante contou até com o apoio do Presidente Bolsonaro (que por sinal se calou sobre o caso do motorista morto no Rio com mais de 80 tiros). Censura é o que acusam os defensores do comediante que acredita poder fazer piada com qualquer coisa (mesmo que seja crime).

Ao acompanhar o caso, o rapper Ukah lembrou da perseguição que ele sofreu ao responder o racismo abjeto de Gentili. Lucas então decidiu mostrar que as atitudes criminosas de Gentili são de longa data. Gentili persegue quem questiona seus crimes e agora tenta se fazer de vitima  numa situação claramente ilegal (outra vez).

Dez anos após a polêmica declaração racista de Gentili, Ukah lança um novo rap como resposta ao comediante que pensa ser possível brincar com o racismo sem consequência apenas por contar com a admiração de uma orda de racistas criminosos que admiram as atrocidades do humorista.

Outra vez Ukah e seu rap denunciam o racismo de um humorista que acha graça no sofrimento, outra vez Ukah vai enfrentar a ira dos admiradores de Gentili por denunciar o obvio, racismo é crime e Gentili a mais de uma década, espalha sua estupidez nos meios de comunicação, até quando?

Um pouco mais sobre ‘Vai Se Fude Gentili’

A música começa com um recorte de Baco Exu do Blues, Don L, Djonga e continua com inúmeros trechos de reportagens, além de trechos de outras músicas.

Música forte, um rap forte, é isso que falta, é isso que a galera precisa ouvir, Ukah consegue e conseguiu passar emoção, verdade e muita porrada só com sua voz, flow; isso por que estamos tirando completamente a parte de letra em si, que é uma outra porrada na cara, principalmente na cara de Danilo Gentili, o rap ainda respira, o rap ainda é forte, o rap ainda bate e Ukah veio mais forte que um lutador de boxe pronto para o nocaute.

O rap já escolheu o seu lado e não é do lado do Gentili, e vocês, em qual lado vão ficar?

1 comentário
  1. Diego Diz

    Ofendeu a puta.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.