IGOR está entre nós

0

Tyler, The Creator disponibiliza seu sexto álbum de estúdio.

Nos últimos anos Tyler tem vindo em uma crescente de amadurecimento muito importante pra sua carreira, Flower Boy (2017), trouxe questões mais introspectivas das quais o rapper não tinha tocado, como sua sexualidade, relações interpessoais e frustrações.

No decorrer disso, Tyler continuou sua empreitada em ascensão com a Golf, sua brand, fechando uma parceria com a Converse para Golf Le Fleur*. Como se não bastasse, Tyler que já vinha colaborando com a A$ap Mob, especificamente A$ap Rocky, desde o lançamento de Thelepone Calls, trouxe alguns outros durante o período entre o último álbum e IGOR (2019), como ZIPLOC, 435, todos os instrumentais do álbum de 2015, o Cherry Bomb, além de colaborações com Kali Uchis e POTATO SALAD com Rocky.

Como podemos perceber, não é apenas um disco que faz um artista e Tyler se mostrou bem criativo nesse período apesar de nenhum compilado, até que nas últimas semanas ele apresenta um snippet um tanto doentio, que mais tarde viria ser chamado de IGOR’s Theme, onde vários rostos de Tyler com diferentes expressões se movimentam ao som de um instrumental que mescla fases antigas do artista em um peso sufocante, marca registrada desde Yonkers (2011).

Como se não bastasse ele soltou alguns outros trechos das faixas Whatsgood, A boy is a gun* e New Magic Wand, mas os rumores sobre o álbum já era antigo, quando ele soltou em seu twitter que em 2020 as pessoas sentiriam falta do Flower boy e sendo verdade ou não o fato é que IGOR está entre nós.

Claustrofóbico, pesado, intenso, porém um disco romântico que dialoga com questões mais íntimas não muito diferente do último álbum como em A boy is a Gun*: “I’ve hooked up with dudes before” ou
“I ain’t takin’ you home, yeah, I’m brushin’ you off/‘Cause this parka is Comme, you’re my favorite garçon” mostrando um Tyler sem medo de apresentar seus sentimentos e com sede de inovar, como vemos em Puppet que resgata fortes elementos do Soul dos anos 80, com versos de Kanye West um de seus maiores ídolos.

O Disco de um pouco mais de 39 minutos não tem um ponto alto em si, todas as faixas tem sua particularidade e talvez o amadurecimento em nossos ouvidos se dê conforme o tempo passa. As colaborações vão desde Playboi Carti, Frank Ocean e A$ap Rocky à Kali Uchis, Kanye West e Pharrell entre outros.

A questão aqui é que Tyler nos apresentou um material envolvido em sons, muitos sons e ideias espontâneas, deixando as rimas excessivas de lado e abrindo espaço para uma musicalidade ampla e diferente, como o próprio Offset do trio Migos twittou nas últimas horas.

Resta saber como os visuais estarão ligados a trajetória de IGOR até sabermos mais sobre essa persona icônica e extravagante.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.