Precisamos falar da importância do João Rock para o rap nacional nessa última meia década!

0

No próximo dia 15 de junho, Sábado, acontece a 18ª edição do João Rock em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. O festival que tem o rock em seu nome e correndo em suas veias trará mais uma vez grandes atrações da cena do rock nacional como Pitty, CPM22, Scalene e Paralamas do Sucesso. No entanto, nesse ano o festival estará, mais do que nunca, repleto de atrações do rap nacional em seus palcos, das quais assistiremos nada mais nada menos que: Marcelo D2, Tribo da Periferia, Djonga, Filipe Ret, Rincon Sapiência, BK, Emicida e Rael em um show histórico junto com o Mano Brown.

O festival que das suas 21 atrações terá nessa edição um terço direcionado ao rap, não vem de hoje fortalecendo a cena do rap nacional e abrindo cada vez mais espaço para atrações do gênero. Façamos uma pequena retrospectiva.

Em 2015

Assistimos ao Criolo com a turnê “Convoque seu Buda” em um show lindo no final da tarde e ainda no começo do festival. Vimos também um ótimo show do Gabriel o Pensador, com banda e também tivemos a apresentação do afiadíssimo Planet Hemp, que retornava aos palcos naquele ano.

Em 2016

Nos palcos do João Rock foi visto Planet Hemp e Criolo novamente, que se no ano anterior se apresentou no começo do festival, no ano seguinte o encerrou com chave de ouro e com a linda participação da Tulipa Ruiz. Além disso, em um dos momentos mais marcantes do festival, Black Alien levou aos palcos o show da turnê de “Babylon by Gus Vol. II”, show esse que se destacava por ter um profissional em Libras fazendo tradução simultânea para o público.

Em 2017

Outra atração do rap nacional encerrando o festival mais uma vez, Emicida e convidados fizeram uma apresentação incrível no auge da noite, na época, com Coruja BC1 fazendo o vocal de reforço, banda com a percussão intocável e também com a apresentação ao vivo de Mandume, que na ocasião contou com a presença de Raphão Alaafin, Drik Barbosa, Muzzike e Rico Dalassam, faltando apenas Amiri da formação original do som. Além disso, no mesmo ano, assistimos no palco fortalecendo a cena do festival ao grupo carioca 3030 e ao paulista Haikaiss, ambos os shows com presença marcada de boa parte do público. No mesmo palco também assistimos a banda carioca Medulla, em um dos melhores shows da noite que contou com a participação de Léo Casa1 (Rap Box).

Ano passado

Três atrações em sequência de rap nacional no encerramento do festival. Gabriel o Pensador, Criolo e Planet Hemp se apresentaram um após o outro, em três ótimos shows no palco João Rock, o palco principal. As apresentações marcaram de vez a importância e relevância do rap nacional para o festival, mostrando que não há mais João Rock sem rap e não dá mais para citar grandes apresentações de rap sem falar sobre alguma que ocorreu em um dos palcos e edições do João Rock. Nesta edição, assistimos ainda no palco uma ótima apresentação do Rael fortalecendo a cena, com participação de Black Alien e Rodrigo Ogi, além de um excelente show do Froid, com participação de Cynthia Luz e uma banda que fez arranjos incríveis para os sons do rapper.

Nesse ano

As expectativas estavam altíssimas para o line-up com tantos rappers se destacando na cena mainstream do país. O público já esperava muitas atrações de rap e a organização não decepcionou, pelo contrário, ainda surpreendeu. O festival trará no próximo dia 15 de junho no palco o menino que queria ser Deus, Djonga, com o show da turnê de seu novo álbum “Ladrão” e BK que tem feito excelentes apresentações com banda em sua turnê do álbum “Gigantes”, assistiremos também o veterano Filipe Ret, e toda a ginga de Rincon Sapiência. O festival trará um novo palco esse ano, o palco “Brasil – Brasília”, que contará apenas com atrações da nossa capital. Assim, a organização do festival foi muito feliz ao trazer a apresentação de Tribo da Periferia, grupo tão importante para a cena musical da capital e do país todo.

No palco principal teremos a histórica apresentação de Emicida, Rael e Mano Brown, que já se apresentou com os dois na gravação do DVD “Criolo & Emicida” em 2013, na ocasião cantou junto com os rappers os clássicos “Vida Loka parte I” e “Capítulo 4, Versículo 3”, o resultado e a harmonia foi impressionante. Estamos na expectativa de um grande show, será que teremos a grata surpresa da apresentação de “O Céu é o Limite”? O single produzido pelo Devasto conta com a participação de Rincon, BK, Rael, Emicida, Djonga e Mano Brown e todos estarão presentes no dia.

A expectativa está altíssima para o festival. Certamente teremos apresentações históricas com tantos rappers em alta da cena presentes e a expectativa de receber mais de 30 mil pessoas. Saudades do que a gente não viveu ainda e expectativa gigante para o ano que vem!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.