ELAS: RND entrevista Zaika dos Santos

0

Salve amantes do Rap, sejam bem vindos a mais um post da coluna Elas do RND, depois do sucesso da entrevista com Donna Liu, dessa vez nossa colunista Raízza Prudêncio, bate um papo com a rapper Zaika, sem mais delongas vamos a entrevista.

ZAIKA DOS SANTOS ENTREVISTA aligncenter

Por Raízza Prudêncio

RND: De onde você é, quantos anos você tem,e em que cidade você esta atuando?

 Então nasci no aglomerado da Serra em Belo Horizonte e morei lá por um tempo o que influenciou bastante o meu trabalho, hoje sou residente da região metropolitana de Minas Gerais, atualmente moro em na cidade de  Contagem, que é a região mais industrial de Minas.Tenho 25 anos.E atuo fortemente em Minas Gerais há 14 anos , nos ultimos 3 anos começei a circular fora de minas também, pois o trabalho expandiu bastante com a divulgação pela internet que partiu de amigos conhecidos e do coletivo de intervenção urbana que eu fazia parte.

RND: Conte-nos um pouco sobre a sua trajetória.

Bom Raizza , minha correria vêm de berço, nasci no meio musical, minha era cantora de música popular brasileira e engravidou cedo e desde da barriga dela que acompanhava o trabalho dela : estúdio , ensaios , show e etcs. E tudo isso me influencio bastante, grande parte do meu conhecimento musical vêm dela.

 Quando fiz 10 anos de idade comecei a escrever e cantar , como já era envolvida com o HIP HOP através da dança , pois eu era B.Girl  e naquela vontade de aprender  um pouco de tudo sobre a cultura (rs) comecei a rimar também e sempre fui apaixonada com música jamaicana.

E no decorrer desse processo ainda na minha adolescência aconteceu um fato que despertou bastante meu olhar  pro contexto e o conteúdo das rimas. Fui discriminada na escola pela minha professora ,e isso fez uma reviravolta no meu fazer artístico, pois senti a necessidade de desabafar meus pontos de vista sobre questões de gênero e etnia.Então participava de alguns grupos de estudos e cantava com alguns grupos de rap em Minas Gerais.

Em 2005 criei junto com a Aline Cecília e a Alice Gonçalves, o grupo de rap Ideologia Feminina, nossa idéia era : um grupo feminino que não falava só de questões femininas.Ai em 2006 nos inscrevemos em um festival em Minas Gerais chamado Hip Hop  Inconcert , que foi a maior apresentação do grupo , ganhamos o festival e daí em diante partimos pra proposta de amadurecer nossas idéias ,pq éramos muito novas (rs). Lançamos um Ep virtual chamado Memórias , e nos inscrevemos pro Hutuz de 2008, onde tivemos a surpresa de ter conseguido ficar entre as 5 indicadas como Demo feminina, ( foi legal representar minas) ecom tempo o grupo acabou e cada uma seguiu seu caminnho , eu continuei com a música .

Ai em 2009 comecei  dois processos sonoros ao mesmo tempo, entrei pra um grupo de Soundsystem que se chama Lealsoundsystem  (onde trabalha com as vertentes eletrônicas da música jamaicana ) e a gravar meu primeiro EP solo de rap  na Produto Novo (Produto Tosco – hoje Produto Novo – nasceu em meados de 2005, a fim de tornar acessível a produção musical e audiovisual de baixo custo ou, sem nenhum orçamento. A base é a colaboração e possibilidade de trocas de favores.) com um amigo e o parceiro que mais me fortalece nessa correria musical o Clebin Quirino e estou finalizando pra lançar esse ano (sem pressa) .

Em 2011 entrei pra banda onde o Clebin Quirino também canta e faz mais um tanto de coisa, a banda se chama Coletivo Dinamite, a primeira vez que vi eles tocarem me apaixonei pela massa sonora  , denominar  a banda sempre é complicado pq o som é muito misto , eu gosto de chamar de Farofa musical(rs). E tô ai fazendo essas coisa todas!

ZAIKA FOTO 1 aligncenter
Foto por Wenderson Fernandes

RND: Como foi o processo de se afirmar enquanto cantora/rapper?

Canto , rimo e  sou toaster de Soundsystem, que é um estilo de se cantar reggae com rimas mais faladas do que cantadas.

Bom afirmar tudo isso é uma correria só!O processo é  árduo,trabalho  e complexo.

Minha mente muito inquieta quanto as possibilidades de se burlar formas convencionais e comuns de se  auto-representar  ou auto-afirmar.

Existem muitas  possibilidades sonoras , formas ideológicas distintas de cada expressão sonora e representativa. Não consigo limitar só em rimar , nem só cantar e nem ser só uma toaster . Eu gosto muito de misturar idéias , texturas, formas e pensamentos . Então foi  um processo delicado de se tornar entendível .

Ao mesmo tempo em que acho que este processo ainda está acontecendo.

Não corro  atrás de um grande reconhecimento e de afirmar formas, sempre corri e corro atrás de fazer o que acho importante : levar mensagens conscientes e positivas, é isso que motiva minha afirmação, ela vir naturalmente e acompanhar o processo de amadurecimento da correria.

O que também  bate nas convenções comuns de ser mulher, fazer musica  e lidar com situações preconceituosas e conflitantes, mais nada impossível de se contornar com idéias coerentes , positivas e o silêncio.

ZAIKA FOTO 2 aligncenter
Foto por Maxwell Vilela

RND: Interessante, como o silêncio na sua opinião pode contornas as adversidades?

Pratica. O movimento na maioria das vezes é mais importante que o embate ou espontaneamente se torna outra forma de embate. Praticar sempre nos leva há resultados, os resultados nos levam as reflexões e isso também muda o olhar.

O silêncio é uma forma de dialogo!

Subverter o ver pra crer é bom também. Existem outras formas de se embater idéias as possibilidades de dialogo são muito amplas e nem sempre cabem só no ato de se falar ou se auto –representar.

Então praticar também responde as adversidades. (pelo menos comigo é assim)

 Teve uma época que lidar com essa escolha me trouxe muitas reflexões e inquietações, acabei escrevendo uma música que se chama : Silêncio Ensurdecedor .

A música têm 2 versões uma em dubstep ( com Lealsoundsystem e o Dubalizer , fizemos uma sessão livre) e outra em rapcore dub (rs) ( com Coletivo Dinamite)

[youtuber youtube=’http://www.youtube.com/watch?v=VuKYZN6Ljh4′]

RND: O single do seu novo trabalho se chama Desabafo,como foi o processo de escolha  e produção dessa música como carro-chefe do seu próximo lançamento?

Bom a música desabafo é o tema do EP que lanço este ano (se deus quiser, mais sem pressa) .

Em 2009 comecei esse processo em conjunto com o Clebin Quirino , que me fez a proposta de gravar na sua produtora independe,há Produto Novo . Quando conheci a produtora dele me apaixonei , pelo processo de produção , forma pratica a utilização do escambo como meio de condução e,as produções sonoras que misturam diversas influências musicais sem medo e a localização(No Jardim Vitória mais conhecido como Poca oi) .

E  ai começamos os registros sonoros, de tanto que  desabafei  nesses registros e isso se tornou um ponto importante para o processo, acabou que demos este  nome para o EP.

Todas as produções sonoras vêm com a forma mista da Produto Novo ,o que me deixou bastante livre pois cruzamos muitas referências musicais.E como o processo foi longo construímos e reconstruindo as músicas até chegar numa forma que dialoga com o Hip Hop e mistura outras linguagens sonoras.Também trabalhamos com a construção de flow e formas diversas de se rimar, cantar  ou declamar na intenção de ter  singularidades coletivas .

Agora estamos trabalhando a finalização e o lançamento de forma independente.

[su_button url=”small” link=”http://104.248.15.2.br/2013/03/zaika-dos-santos-desabafo-single.html” target=”blank” ]Baixe aqui a musica “Desabafo”[/button]

RND: Desde já agradeço a entrevista e gostaria de saber quais são seus planos pro futuro e o que você espera conquistar com o seu trabalho.

 Bom estou trabalhando outro EP com o dialogo sonoro voltado pra vertente da música de  Soundsystem (Dub, Dubstep, Jungle, Ragga,Dancehall entre outras linguagens sonoras) e também construindo coletivamente um grupo que potencializa a expansão desta linguagem nos aglomerados ,áreas centrais e decentralizadas de Minas Gerais, o coletivo se chama Circuito Soundsystem.

Circuito Soundsystem

Estudo muito sobre a Soundsystem e sou super apaixonada com essa vertente sonora. Esse ano abrindo os trabalhos  estou divulgando um novo single, em Dubstep, que foi produzido pelo  Wagner Bagão (Dubalizer )e e têm os Scratchs do Felipe Silva do (Fya Sounds) , as duas bandas são de São Paulo, o lançamento foi no inicio de fevereiro, via soundclound  e com download gratuito, se chama : O Que é o amor?

DubalizerFya Sound

Lançamos no intuito de divulgar e fortalecer mais o cenário nacional da cultura dos graves e firmar essa diversidade sonora em Minas também. Continuar também o trabalho com o Coletivo Dinamite, esse ano pretendemos gravar mais um CD e estamos divulgando o primeiro através de videoclips pra web e shows .

Clip da música Etnocêntrico

Além dessas correrias quero continuar disponibilizando as músicas gratuitamente pela web e propagar a mensagem de forma positiva. Ao mesmo tempo quero viver a vida tranquilamente trabalhando com música ou com o que tiver de trabalhar. Quero continuar essa  caminhada  dá forma mais pé no chão possível (rs) , as vezes me embolo porque é muita coisa pra fazer mais ta rolando(rs) . Acho o fazer artístico um nobre ato de exteriorizar energias , e isso é muito bom  me deixa bastante feliz, mais não me difere de ser um ser humano comum, então quero continuar seguindo este corre com tranqüilidade e mantendo sempre a VIBE POSITIVA humildemente. 

Facebook ZaikaSite ZaikaYoutube Zaika

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR A MUSICA “DESABAFO”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.